Sem título


 

Há fases na vida em que nos deixamos ficar num mesmo lugar e que, ainda que nos conforte, nos impedem de evoluir. Barreiras se erguem e nos limitam. É num percurso pela floresta que procuro materializar esta ideia de criarmos o nosso próprio caminho interior em busca de novos lugares.

Sinto-me seguro, este é o meu lugar. Ganhei raízes, deixei-me ficar por aqui… Um muro ergueu-se onde outrora via o horizonte pois acomodei-me, apropriei-me deste espaço, fi-lo somente meu. Mas quero percorrer novos caminhos, chegar a outros lugares. Enfrento os meus medos, transponho este muro e ouso sair do meu espaço de conforto.

Na minha frente o desconhecido. Arrisco e aventuro-me, guiado por este este trilho obscurecido pela vegetação e pela luz difusa do final de dia. Caminho lentamente e penso em voltar atrás. Mas o silêncio tranquiliza-me interferido apenas pelo estalar das folhas, já ressequidas, que partem sob os meus passos.

Na verdade não sei para onde vou. Eventualmente deixar-me-ei ficar por aqui mas, certo de que, se mais um muro se erguer, partirei em busca de novos lugares.