Distopia


 

O crescimento demográfico ocorrido no concelho de Braga ao longo dos últimos 30 anos conduziu a um boom no sector da construção civil e do imobiliário e consequentemente este sector passou a ter um forte peso na economia local, sendo Braga reconhecida como a capital da construção do país.

A recessão da economia, o excesso de concorrência e da oferta e a natural contração da procura traduziram-se numa crise profunda e de grandes dimensões desde 2000 no sector da construção civil.

Este projecto, Distopia1, visa documentar a realidade do concelho e aumentar a percepção da cidade, que na maior parte das vezes não é completa, mas sim bastante fragmentária. Ao longo do concelho existe um conjunto de edifícios por finalizar, formando uma paisagem urbana decadente de estruturas de betão e tijolo. Uma paisagem não visível ao primeiro olhar, marcada pelo desordenamento do território, pelo desperdício onde a natureza vai reconquistando o seu lugar, testemunham uma vida outrora cheia de abundância e de padrões recorrentes do nosso tempo.

1Deriva por oposição do conceito de utopia, o lugar onde tudo é como deveria ser. No âmbito da Patologia caracteriza a localização anómala de um órgão. Na literatura, tem como objectivo criticar tendências da sociedade actual, ou alertar para os perigos de determinadas utopias. Origem do grego dys que expressa a ideia de dificuldade, mau estado e de tópos que significa lugar.